segunda-feira, 12 de junho de 2017

Parnaíba 306 anos


Dando continuidade sobre a viagem ao Piauí, como havíamos prometido vamos abordar a questão da data de fundação da Cidade de Parnaíba.

No Brasil praticamente todas as capitais de Estados banhadas pelo Oceano Atlântico encontram-se no litoral, com exceção de Teresina que fica há 338 km do mar. Quais os interesses teriam levada a Capital do Piauí para tão distante de um Porto cujas vantagens da proximidade seriam inúmeras. Pela presença do Delta em mar aberto, Parnaíba, tem  a maior atração turística do Estado, pouco explorada e divulgada. 
O texto em seguida é do Historiador Diderot Mavignier que conclui após incansáveis pesquisas a verdadeira data da fundação da Cidade de Parnaíba.


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Nossa Senhora do Rosário de Frecheira da Lama


Minha viagem pelo interior do Piauí partindo de Parnaíba até Cocal  foi muito rica e proveitosa. Tendo ao lado o historiador Diderot  Mavignier, autor do texto desta postagem, e profundo conhecedor do passado de sua gente.

Entusiasta das raízes formadoras do Estado do Piauí e particularmente de sua cidade natal Parnaíba, onde conhece cada palmo de rua, cada sobrado antigo assim como as mudanças e transformações que ao longo dos anos foi modificando a paisagem da litorânea e agradável Capital do Delta. Como pesquisador Diderot discorda das teses existentes quanto a data de fundação da cidade, motivo de acalorados debates o que é muito salutar tratando-se de história, uma ciência em contínuo movimento. Em breve vamos abordar o assunto. O texto ilustra magnificamente as fotos de minha autoria num dueto que pode ser repetido em futuras postagens.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Alfredo Miranda



Cada do CD

Casualmente quando procurávamos um livro de um autor local sobre a cidade de Viçosa do Ceará encontramos a Casa dos Licores e ficamos conhecendo a história de Alfredo Miranda. Transcrevemos o texto abaixo escrito pela filha do músico.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

DOCES CASEIROS

Forno de lenha
Uma prática que vai aos poucos desaparecendo no tempo, é a fabricação de doces caseiros. A industrialização destes produtos foi pouco a pouco destruindo com esta tradição familiar de fazer seus próprios doces com receitas passadas de mãe para filhas, algumas como segredos conhecido apenas por membros da família. 
Tacho de Cobre

sábado, 8 de abril de 2017

Portugal Meu Avozinho.



Lisboa
Morando a três meses em Lisboa é raro o dia em que não encontro um brasileiro, trabalhando e morando aqui. Nunca deixo de perguntar o motivo da mudança. A resposta é invariavelmente a mesma.  Estão trocando a violência pela segurança.  Em segundo lugar vem o atendimento de saúde, a facilidade de transporte, a falta de engarrafamentos, enfim, a mobilidade, a educação pública de qualidade, as oportunidades de emprego. Nas palavras de um condutor de UBER, não se ganha muito, mas ganha o necessário para viver com dignidade. O que mais necessita um ser humano além de viver com dignidade, de ser respeitado, inclusive no trânsito.
A segurança pública, e é preciso dizer que não se vê policiais em excesso nas ruas, muito menos abordando pessoas, trouxe para o país à melhor indústria do século, a mais limpa, aquela que não trás poluição, o turismo.
Évora
O país está tomado por franceses, ingleses, espanhóis, brasileiros, japoneses, gente de toda parte do planeta.
Portugal é uma festa, alegre e colorida, pessoas descontraidamente passeando pelo país. Lisboa, Évora, Óbidos, Guimarães, Porto, Tomar, Coimbra. Tudo vale a pena ser visto, e curtido. Custo disso tudo, menos da metade do que se gasta no Brasil. Vinhos, que no Brasil são vendidos por duzentos, trezentos reais, compramos aqui por dez euros, os mais populares por menos de dois euros. Almoçar fora significa menos de cinco euros, em casa a metade disso. Remédios pela metade do preço, tem farmácia popular, com medicamentos gratuitos, e genéricos de qualidade. É comum ver as pessoas conversando nas praças e nos inúmeros cafés. Andar na rua a qualquer hora com a câmera pendurada no pescoço sem medo de ser assaltado. 
Évora
Eu precisava deste período em Portugal, desta experiência para poder falar tudo isto, de morar e não ser apenas turista, naquele corre-corre para conhecer tudo em pouco tempo. Aqui me sinto em casa, pela língua, pela identidade cultural, pela gastronomia, pelo gosto por literatura e poesia e música. Cantores portugueses, fazem discos dedicados a compositores brasileiros com Antônio Zambujo com disco inteiro dedicado a Chico Buarque de Holanda, ou Carminho com sua voz doce cantando Antonio Carlos Jobim. As distâncias são mínimas, um pulo de grilo, como diria o poeta Jessier Quirino, Portugal uma velha e nova paixão.
Guimarães



Paulo Carvalho
Comentários e críticas pelo e-mail
voteespiaso@gmail.com
Preciso de mais de 365 dias para fotografar Portugal.








quarta-feira, 29 de março de 2017

Preconceitos a parte.

                                            Black is Beautiful 

De vez em quando me deparo com postagens no Facebook, de pessoas pedindo para curtir, caso tenha algum amigo negro, como se o ato de curtir desse à esta pessoa um atestado de que ela não é racista. Não curto tais postagens, nem tão pouco com relação a questões de gênero como, curta se tem um amigo gay, é outro pedido bastante frequente, e outra grande falácia.

Não respondo, pois, o que interessa apenas é que eu tenho amigos, e 
eles sabem disso, ponto.

A hora de ver se você é preconceituoso ou não, é na atitude, é quando o fato se coloca na sua frente. Quero ver, como dizia Chico Anísio, quando sua filha branca, de olhos azuis,  chegar em casa de mãos dadas com um negro, ou visse e versa, e diz: Pai este é meu namorado(a). Quando ele ou ela chega com alguém do mesmo sexo e diz a mesma coisa. Está sim, é à hora do olho no olho. A sua reação, e o que vai acontecer a partir deste momento, diz quem você é realmente. No primeiro caso, a resposta, muitas vezes é... Pra ser amigo tudo bem, mas para misturar o sangue é outra coisa. No segundo caso pode-se ouvir... Amigos, até que pode, mas quero netos, e aí. E como vou explicar esta situação para os amigos, como se tivesse explicações para dar.

A aceitação, a tolerância, a compreensão das diferenças, quaisquer que sejam se dá diante do fato, e não em curtidas nas redes sociais. Assim é fácil cara pálida.

Porque estou falando do assunto. Hoje uma senhora portuguesa, tomando conhecimento de eu tinha, e tenho, intenções de morar em Portugal, me disse o seguinte: O senhor deveria ir morar na minha terra, disse lá o nome do lugar, uma aldeia, no interior do país e completou com esta pérola. “Eu não sou racista não viu, neste momento baixou o tom da voz, e confidenciou. Lá não tem pretos, acredite.”  Imaginem se ela fosse racista.



Paulo Carvalho
Críticas e comentários pelo e-mail voteespiaso@gmail.com


domingo, 26 de março de 2017

CABO DA ROCA



O Cabo da Roca é o ponto mais ocidental da Europa, fica a oeste de Portugal, em Sintra,  Distrito de Lisboa. Corresponde, no Brasil a Ponta do Seixas em João Pessoa no Estado da Paraíba, ponto este, a leste do Brasil e, portanto, mais próximo do continente europeu.  

Lugar de rara beleza, com litoral constituído de falésias que atingem até 140 metros de altura. O mar tem um azul indescritível, bate constantemente nas rochas, provocando uma espuma branca embelezando mais anda a paisagem, em contraste com as águas do mar. Sobre as rochas uma vegetação única,  com espécies sendo objeto de vários estudos que se estendem, igualmente, à geomorfologia, entre outros. Lá se encontra o Farol do Cabo da Roca, fiel guardião dos navegadores.

No dizer de Luiz Vaz de Camões é o local “Onde a terra se acaba e o mar começa”  (in Os Lusíadas, Canto III)
  

 Frequentado por pessoas do mundo inteiro e por corredores e caravanas de ciclistas e motociclistas que se reúnem no local para festejar e comemorar conquistas no atletismo.
Visitando Portugal este é um sítio imperdível, está no caminho entre Sintra, Cascais e Lisboa e a menos de uma hora de viagem.







Nestas fotos de minha autoria tento mostrar um pouco da beleza do lugar.







Comentários e sugestões pelo e-mail voteespiaso@gmail.com







Paulo Carvalho.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...