quinta-feira, 26 de novembro de 2015

ZETO

                                          Terceira Semente
Zeto
A eloquência no falar e o dom da oratória são características marcantes nos filhos de Mercês e Zé Caboclo, dos quais, Zeto é um deles. O recitar teatral sempre foi presente no artista , mesmo antes de se encantar pelo sertão, seus poetas e suas poesias.

Recitava com maestria "O Ebrio" de Vicente Celestino, além de gostar muito de interpretar as peculiares poesias da obra de Zé Limeira entre outros poetas populares. A relação poética com o Pajeú foi o momento apoteótico da sua carreira de declamador, uma vez que apaixonou-se e integrou-se na sua totalidade artística existencial com aquela forma sertaneja de ser e de fazer poesia.

Com Jó Patriota, Zeto, teve além de um sentimento de admiração profunda pelo lirismo e sentimentalismo do grande poeta. Nutria por ele uma amizade filial e uma cumplicidade poética irreverente que só existe entre poetas como Jó e como Zeto. 

A emoção de recitar Jó fica clara na integração absoluta com cada frase do sentimento explicito no versar de Jó, traduzido pelo sentir de Zeto... Sublime !

Fim da conversa no bate-papo
Graça Nascimento.

                        Zeto declama Jó Patriota. Arquivos Paulo Carvalho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...