segunda-feira, 12 de junho de 2017

Parnaíba 306 anos


Dando continuidade sobre a viagem ao Piauí, como havíamos prometido vamos abordar a questão da data de fundação da Cidade de Parnaíba.

No Brasil praticamente todas as capitais de Estados banhadas pelo Oceano Atlântico encontram-se no litoral, com exceção de Teresina que fica há 338 km do mar. Quais os interesses teriam levada a Capital do Piauí para tão distante de um Porto cujas vantagens da proximidade seriam inúmeras. Pela presença do Delta em mar aberto, Parnaíba, tem  a maior atração turística do Estado, pouco explorada e divulgada. 
O texto em seguida é do Historiador Diderot Mavignier que conclui após incansáveis pesquisas a verdadeira data da fundação da Cidade de Parnaíba.




Parnaíba 306 anos.
 Uma cidade baiana/pernambucana
Ermida de Nossa Senhora de Monserrathe no Centro Histórico da cidade da Parnaíba, Piauí.
Foto: Paulo Carvalho.

Mal raiava o Século das Luzes, chegavam ao extremo Norte da Capitania do Piauí, o baiano Pedro Barbosa Leal e o seu geral administrador, o pernambucano João Gomes do Rego Barros. Leal era sertanista da baiana Casa da Torre, e João Gomes, filho do capitão-mor João do Rego Barros. Chegando ao litoral do Piauí, instalaram fazendas e as primeiras oficinas de couro e charque, bem como salinas.
Em 1711, Leal solicita à Cúria de São Luís - Maranhão, licença para construir uma capela para santa de sua devoção - Nossa Senhora de Monserrathe. Assim, a cidade litorânea do Piauí ficou por quase cinquenta anos como Vila de Nossa Senhora de Monserrathe da Parnahiba. Leal trouxe de Salvador, o facalhão de retalhar carnes nos açougues baianos. A faca parnaíba passou, no século seguinte, a ser preferida pelos cangaceiros por conta de sua lâmina de 45 centímetros.

Faca parnaíba. Blog Lampião Aceso: http://encurtador.com.br/BOX08.


No extremo Norte do Piauí, os aventureiros lidavam com a forte pressão dos temíveis índios tremembés. Em 1712, os colonos enfrentam a Confederação dos Tapuias do Norte liderada pelo índio Mandu Ladino. Este foi levado, ainda jovem, do Piauí, e depois de cristianizado num aldeamento próximo do Recife, fugiu e passou a incomodar os portugueses usurpadores de suas terras no Delta do Rio Paraguassu, hoje Rio Parnaíba. Ladino reuniu várias tribos contra os instaladores de fazendas de gado. Temendo pela segurança da imagem de Nossa Senhora de Monserrathe, João Gomes levou a imagem portuguesa para o arraial da Piracuruca, de onde nunca mais retornou. No ano de 1716, Ladino foi morto pelo sargento-mor da Vila da Parnahiba, Manuel Peres Ribeiro, sendo fuzilado tentando escapar pelo rio.
Assim, o arraial de Nossa Senhora de Monserrathe da Parnahiba é a proto-vila que, em 1762, deu lugar a Vila de São João da Parnahiba e que, em 1844, foi elevada à categoria de Cidade da Parnaíba, uma construção iniciada por um baiano e um pernambucano. Parnaíba, neste junho de 2017, completa os seus 306 Anos.

Petição da Cúria de São Luís, em resposta à solicitação de Pedro Barbosa Leal
para construção da Capela de Nossa Senhora de Monserrathe da Parnahiba,
em 11 de junho de 1711. Pesquisa da desembargadora Josefa Ribeiro da Costa, 
junto ao Arquivo Público do Maranhão em 2008


Imagem de Nossa Senhora de Monserrathe da Parnahiba 

Perspectiva da Vila de São João da Parnahiba em 1809
No destaque, a ermida de Nossa Senhora de Monserrathe, hoje, no Centro Histórico da Cidade da Parnaíba, Piauí.

Fonte: original manuscrito do Arquivo Histórico do Exército,
Rio de Janeiro. 

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...